Que Medo: Como começar a superar o seu e instalar no seu filho uma mente corajosa

Eu falei pro João, meu filho, “João eu tenho medo de barata” e ele falou assim “mas só se a barata tiver vindo na sua direção, né papai?” e eu “não, eu tenho medo de barata se ela tiver em qualquer direção”.

Eu tenho medo de barata, de exame de sangue, de dentista. Eu não sei do que você tem medo, mas eu quero saber! Me diz aí nos comentários, do que você tem medo? Quando a gente olha o medo de frente, sabia que ele começa a diminuir só da gente olha pra ele?

E eu vou falar contigo sobre isso, como que eu começo a vencer os meus medos, começo a instalar em mim uma mente corajosa e mais, como você instala na criança uma mente corajosa.

E o que eu vou dividir contigo é técnica, tá? Técnica de Coaching e neurociência pra você usar agora e a primeira coisa que a gente tem que ter em mente é que a gente não tá falando aqui de medo patológico, medos que precisam de um acompanhamento profissional, pânicos, pavor, fobias, beleza?

Eu tô falando dos medos do dia a dia, eu tenho medo de barata, de injeção, de dentista… tô falando desse tipo de medo. E eu quero falar que o medo não necessariamente é ruim, aliás o medo é o que mantém a gente vivo, se eu não tivesse medo de pular pela janela, eu pulava pela janela, entende? O medo nos alerta de alguma coisa.

E a gente tem que entender que o medo é bom até certo limite, chega uma hora que o medo começa a ficar ruim. Ele começa a tirar de mim plenitude, “ah, eu preciso fazer meu check-up, mas eu fico adiando meu check-up, porque eu tenho medo do exame”. Eu não sei o que você poderia estar fazendo na sua vida agora se não você tivesse medo.

Se liga nisso… o que eu vejo, eu crio. É como se eu tivesse vários óculos pra enxergar o mundo e eu vou escolher um deles pra colocar no meu rosto e de fato ser a lente que eu vou enxergar o mundo.

O que acontece muitas vezes com a gente é que as pessoas colocaram na gente um óculos de medo. Vou explicar melhor isso agora… pensa assim ó, o João tava com um dente muito mole. Eu não sei se você tá ligado, o ser humano tem uma coisa engraçada, o cara tá com uma dor no dente, ele fica meio que colocando o dedo ali naquela dor, passando a língua, sabe? Como se a dor fosse passar ou pra se certificar que tá doendo mesmo!!!

E o João passava o dia assim, passando a língua no dente, e eu pedia pra ele pra tirar o dente e ele falava “não papai, eu tenho medo”. Ai eu pedi pra pegar no dente dele, ponto, não diz que vai pegar no dente e arranca. Se você arrancar, pode estar achando que fez uma maravilha pra ele, mas na verdade acabou de mentir pra criança e tirar confiança dela em você.

E eu combinei com ele que iria só pegar no dente e que qualquer dor era pra ele levantar a mão, que eu soltava. Massa… eu encostei no dente, ele levantou a mão, eu soltei e perguntei “pô João, já doeu?” e ele “não, é que eu queria testar” e pedi pra ele testar de novo.

Quando eu encostei a mão no dente, ele levantou de novo a mão e eu soltei talvez o meu pensamento tenha sido assim “caraca, como meu filho é frouxo, o dente molinho, pendurado, mais baixo que os outros, é só pegar que o dente sai na minha mão”.

E se eu digo pra ele que é frescura, que o dente tá molhinho, pra eu puxar e ele deixar de ser medroso… aí eu acabei de dizer pro meu filho que ele é medroso. Quando eu digo que eu tenho medo, que eu sou medroso, eu estou instalando em mim uma lente de medo. Ou, no caso do João, eu estaria instalando uma lente de medo nele.

Só que eu virei pro João e falei assim “cara, bate aqui João, como você é corajoso de deixar eu pegar no seu dente” e aí ele ficou todo satisfeito!!! Quando você faz com medo, você não é medroso, você é corajoso.

Se liga, medo não é o oposto da coragem e vice e versa. Coragem é deixar fazer apesar do medo, ou você fazer, apesar do medo, quando você faz com medo, você não é medroso, quando você faz com medo, você é corajoso!!!

E ele foi lá pra dentro, pro banheiro, passou 3 minutos ele volta e fala assim “mãe, vem cá!”, detalhe, abraçado no macaquinho de pelúcia dele e no travesseiro azul dele, fechou o olho, abriu a boca e falou “pode puxar, mãe”. Por que ele fez isso? Ele entendeu que ele é corajoso e não medroso! Pessoas corajosas fazem o que? Fazem apesar do medo 🙂

E aí a Paty foi lá e ‘tum’, no primeiro puxão arrancou. Sabe o que o João fez? Chorou desesperadamente hehe e sabe o que eu reforcei pra ele? “Uau João, vem cá meu amor, cara como você é corajoso, Paty, você viu como que o João é corajoso?”.

E isso vale pra você. Acabou de fazer alguma coisa que você tem medo? Será mesmo que você foi um medroso de fazer o exame de sangue e desmaiar ou será que você pode dizer pra você mesmo “Nossa, como eu sou corajoso, mesmo tendo medo eu fui lá e fiz”?

E quanto mais você impedir que as pessoas digam pra você que você é medroso dizendo que “medroso não, eu sou corajoso”, fala em voz alta,  fala pra você mesmo isso!!! Todos nós, seres humanos, temos medo de alguma coisa, o fato de uma pessoa diferente de você não ter medo da mesma coisa que você, não quer dizer que aquilo não mereça ter medo.

E aí que tá, a gente passa a vida, nas coisas bobas da vida dizendo para os nosso filhos/ sobrinhos, crianças que convivemos falando assim “larga de ser medroso” e sabe o que essa criança vai acreditar quando crescer? Que ela é medrosa! Quando na verdade ele é um baita de um corajoso e quando você muda essa percepção, você instala em você e no seu filho, sobrinho, afilhado uma mente corajosa, saudável!!!

Você também pode curtir isso…

Como um guardanapo mudou a minha vida!

O perigo do “só dessa vez” e como usar isso a seu favor

Como evitar brigas de forma simples!

Pare de fazer isso e seja mais feliz 🙂

26 Comentários

  1. Elaine Mendonça

    Simples, óbvio!!!!!
    Infelizmente somos cegos e não enxergamos o simples. Muito legal Gerânio.

    Responder
  2. Elaine Mendonça

    Simples, óbvio!!!!!
    Infelizmente somos cegos e não enxergamos o simples. Muito legal Geronimo

    Responder
  3. Pierri Conti

    Muito bom Gerônimo!
    Foi sensacional!
    Descobri que sou corajoso, pq eu tenho medo de altura e mesmo com medo eu fiz várias vezes, eu tenho pavor de barata, irracional, mas já deixei ela andar em cima de mim mesmo com medo e quando mato eu jogo no lixo com a mão pegando pela antena. Yess sou corajoso.
    kkkk
    Me sinto ótimo.
    Gratidão

    Responder
  4. Isis

    Geronimo, você pediu para citar. Então vamos lá. Eu tenho medo de viajar de carro. Ônibus e avião vou com um pouco de medo, mas vou. Agora… de carro? Só de pensar meu coração dispara. Alguma sugestão para me ajudar a vencer isso? Grata, Isis

    Responder
  5. CACA

    GERÔNIMO BOM DIA!
    GOSTARIA DE AJUDAR UMA PESSOA QUE É VICIADA EM DROGAS. ESTÁ EM TRATAMENTO CLÍNICO PORÉM TODA VEZ QUE PARECE ESTAR INDO TUDO BEM HÁ UMA RECAÍDA. NESSE MOMENTO O MUNDO DESABA PARA ELE E PRA TODOS QUE ESTÃO NA EXPECTATIVA DA ” CURA” .
    É muito recorrente embora pareça acreditar que ” desta vez” vai dar certo. É DEPENDENTE químico desde os 13 anos e hoje tem 36. NUNCA TEVE UMA VIDA Á NAO SER ” ESTAR drogado “. Ė FILHO DO MEU ATUAL COMPANHEIRO E SINTO NÃO ACHAR O CAMINHO PARA AJUDAR…

    Responder
  6. Pris Passamani

    Chorei! Me vi literalmente neste vídeo, ouvindo meus pais falarem que eu era medrosa……

    Responder
  7. Wilson Granja

    Coragem é a minha palavra para 2018! Não foi à toa que saiu pra mim o livro “Propósito – A coragem de ser quem somos” e eu acabei trocando com Renatão por “O Poder da Coragem”, de Jober Chaves, porque já tinha o outro, no início deste mês, na minha formação em Coaching Criacional. Todo dia é uma batalha pra seguir, mesmo com medo tanto do fracasso quanto do sucesso. O que vale é que, com ou sem medo, eu vou lá e faço! O máximo que pode acontecer é dar errado e eu ter que recomeçar… Mas e daí? A vida é pra isso, é ou não é?

    Responder
  8. Alex

    Caraca!!! Muito bom…

    Cresci com meus pais me falando dessa forma “para de ser medroso, vai la e faz”, de fato eles estavam pensando em me encorajar a fazer algo, mas não foi essa realidade, mesmo assim, cresci sem aceitar que era um “medroso” e sempre fui “corajoso”
    Descobri mais isso quando Tive que se auto motivar aos 11 anos quando comecei a trabalhar.

    Essa semana tomei uma decisão de comprar um curso online, que estava com medo de fazer o investimento, mas fui “corajoso” e comecei a estudar e estou muito feliz e realizado comigo mesmo!

    Responder
  9. Silvio Alves

    Adorei a forma como você contornou a situação e transformou algo negativo em um sentimento positivo. Parabéns pro João pela coragem!

    Dois dos meus maiores medos:

    Viajar de carro – Tenho medo de acidentes
    Dentista – Tenho medo da anestesia e a danada quase nunca pega.

    Abraços

    Responder
  10. ALTENOR SILVA

    Excelente Gerônimo.
    Tenho uma cliente que tem medo de dirigir. Tem carteira de habilitação, já dirigiu algum tempo atrás, mas agora sente pavor de dirigir. O que fazer? como posso ajudá-la?

    Responder
    1. Samanta

      No caso, talvez seja necessário a ajuda de um psicólogo (se você não for), pois pode se tratar de um trauma e isso requer métodos específicos de tratamento que requerem um embasamento teórico muito grande. Caso for recomendar isso, não dê nenhum diagnóstico, apenas diga que é importante uma opinião de um profissional dessa área para ajudar a resolver o problema. Se você disser que ela tem um trauma ela pode piorar os sintomas ou até passar a ter um trauma (se não tiver), criando uma realidade nova.

      Responder
  11. joel

    tenho medo de falar em publico. meu pai era ignorante e na infância quando ele tava irritado falava mtas coisas que afetou minha auto estima e auto confiança. falava que eu não sabia fazer nada certo entre outras…

    Responder
  12. bianco

    Boa tarde Geronimo , voce tem uma forma única para abordar os problemas parabéns gosto muito do seu trabalho . Eu tive uma sacado que sempre uso quando tenho um problema , A SACADA É A SEGUINTE A RAIVA SEMPRE VENCE O MEDO , TEM UNS 10 ANOS QUE ATUO COM ESSA SACADA EM MINHA VIDA E ATÉ AGORA SEMPRE DEU CERTO PRA MIM , MAS TALVEZ NAO DE CERTO PARA OUTRAS PESSOAS .

    Responder
  13. Miriam Marques

    Amei! Espetacular sua forma de incentivo, parabéns pelo belo trabalho!

    Responder
  14. Miriam Marques

    Tenho medo de tanta coisa 😱principalmente de ir ao banco o caixa eletrônico pra mim é um monstro 😂moro só mas… vivo assombrada com tudo.

    Responder

  15. ola boa noite, gostei muito do vídeo sou muito grata vou contar o meu medo , medo de dirigir eu me saboto o tempo todo para não pegar o carro.Mas quando não tem jeito eu vou com dor de barriga, as mãos fica tremendo ,fico muito tensa.O que fazer para acabar com este medo.

    Responder
    1. Samanta

      Seria interessante, talvez, um acompanhamento no psicólogo, ele vai te ajudar a averiguar o porquê desse medo. Mas se for possível, tente se expor ao medo aos poucos, reconhecendo seus limites e parando quando necessário. Provavelmente o psicólogo vai tentar por essa via (tem variações, como aplicar a realidade virtual para simular que vc está dirigindo um carro), mas já ajuda muito se você souber o porquê do medo.

      Responder
      1. Samanta

        E tente começar aos poucos e estabelecer recompensas para cada pequena meta cumprida. Tipo: hoje, vou andar até aquele prédio. Amanhã, vou andar até o prédio do lado, ou coisas assim. A recompensa pode ajudar o seu cérebro a associar dirigir a uma coisa boa (pode ser uma balinha, colocar uma moeda no pode e quando encher o pote comprar algo que queira muito, assistir um episódio da sua série favorita, use a criatividade!). Compartilhe a experiência com alguém que reconheça a importância disso e comemore com você, se possível.

        Responder
  16. Eduardo Argenton

    Sensacional!!

    Você é muito sábio Gerônimo!! Você é uma pessoa iluminada, fora de série!!

    Parabéns!! Que Deus te abençoe sempre!

    Responder
  17. Tamy Suhett

    Geronimo, mandou muito bem… simples mas mudou muito minha percepção em relação aos meus filhos… medo x coragem… showw… aproveito para desejar a vc e toda familia muita paz, saúde, sucesso e felicidades….

    Responder
  18. Nathalie Hackmann Tomimatsu

    Geronimo, muito obrigada pela sacada.
    Quantas vezes sem querer, no automatico, usamos termos e criamos crenças sem necessidade. Você ajuda a reabrir nossos olhos.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *