Será mesmo que feito é melhor do que perfeito?

Será mesmo que “feito é melhor do que perfeito”? Já ouviu alguém falar essa frase ou uma semelhante perto de você? Quero falar contigo sobre isso hoje, porque um tempinho atrás eu postei nas minhas redes sociais uma foto com uma frase de um livro que movimentou muita gente. Ela é assim: do livro “A Coragem de Ser Imperfeito” da Brené Brown, que diz assim:

“A caminhada de 20 minutos que eu faço é melhor do que a corrida de 4km que eu não faço. O livro imperfeito que é publicado é melhor do que o livro perfeito que não sai do computador. O jantarzinho com comida chinesa entregue em casa é melhor do que aquele jantar elegante que eu nunca consegui fazer”. Brené Brown, no livro A Coragem de Ser Imperfeito.

Muuuuitas pessoas curtiram a foto e foi alucinante a interação, mas algumas pessoas comentaram que não concordavam com o que tava escrito ali. Eu entendo que o “bom” é inimigo do “ótimo”, mas também concordo com a frase acima. Então qual desses pensamentos é o que vale?? Feito é melhor do que perfeito ou o bom é inimigo do ótimo?

Eu lembro de um joguinho de celular que é um bom exemplo pra explicar o que eu penso sobre o assunto. O objetivo desse jogo é equilibrar uma bolinha no meio de uma trilha, então você joga pra lá, vira o celular pra cá e assim vai… pode parecer que não, mas a vida é exatamente assim.

O mundo não é binário, então os dois conceitos podem sim ser levados em conta. A autora do livro, que é pesquisadora sobre vulnerabilidade, medo e insegurança, percebeu em si mesma o traço do perfeccionismo. Pra pessoas assim, que têm dificuldade de evoluir porque acham que nunca tá bom o suficiente (a caminhada, o post do blog, o livro e muitas outras atividades) é preciso dizer “feito é melhor que perfeito”.

Talvez seja por isso que ela escreveu um livro sobre imperfeição. E vou dizer mais: uns 95% dos vídeos que gravo e dos textos que eu escrevo são pra você, mas também são pra mim. Quando eu falo sobre maneiras de como manter o foco é porque eu, acima dos outros, perco o foco. Eu também sou procrastinador, também me distraio com as tecnologias da vida moderna e abro 18 páginas no navegador. Como perfeccionista, a Brené Brown teve que escrever um livro sobre vulnerabilidade e sobre como é melhor ter dado uma caminhada leve do que 4km de uma corrida não feita. Entende o ponto?

Pra outras pessoas, que passam a vida fazendo o mínimo necessário, é preciso aplicar a regra do bom ser inimigo do ótimo. Quem faz o mais básico e o mínimo que poderia, vai colher o mínimo dos resultados. Se você falar que feito é melhor que perfeito pra uma pessoa dessas, ela simplesmente não vai fazer ou vai continuar sem evoluir (a bolinha cai da trilha e perde o jogo hehe).

O que você tem que fazer é pra que lado tá a bolinha que representa a sua caminhada e aplicar o que melhor se adequa a ela. Só assim você vai evoluir e passar as várias fases da sua vida.

Tudo isso que eu falei contigo faz sentido pra você? Se ajuda em alguma medida, comenta aqui embaixo e me diz pra onde tá a sua bolinha na trilha!! Vou adorar saber mais sobre isso 🙂

Saca só essas outras dicas sensacionais pra ajudar você a mudar a sua realidade!

Rotina matinal: decisiva para o curso do seu dia

2 técnicas simples para ter mais disciplina

O que as mentes pequenas fazem com o seu sonho

6 técnicas para acabar com a preguiça hoje

1 comentário

  1. martha mirao

    Gostei muito! Esta frase é poderosa e me ajudou a sair da minha inércia! Embora a perfeição deva ser algo a ser perseguido, tenho certeza de que se esperar para fazer só perfeito, não começarei nada! Valeu!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *